Noturno

NOTURNO INFORMAÇÕES GERAIS

 

 

Os Cursos Noturnos dos Colégios da Companhia de Jesus propõem-se a atender uma classe preeminente trabalhadora de baixa renda à qual foi negado, no decorrer da história, o legítimo direito à escola no tempo apropriado. Para tanto, este serviço educacional não pode ser considerado uma obra de caridade e assistência, mas uma obrigação de justiça, inclusive para saldar uma dívida contraída junto a este nosso povo pela sociedade em geral e, em particular, pelas mesmas escolas católicas.

 

 

JUSTIFICATIVA

 

O Projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA) assumido pelo Colégio Santo Inácio é fruto de uma opção de Responsabilidade Social que nossa instituição mantenedora faz a partir da necessidade de desenvolver um projeto de educação, que vislumbrando a transformação social de nossa sociedade, atenda aos reais interesses da clientela alvo – alunos jovens e adultos trabalhadores.

Essa opção advém do fato de sermos uma escola da Companhia de Jesus, que desde muito tem percebido a “educação como parte e conteúdo integrante de sua ação evangelizadora, em continuação da missão do próprio Cristo Mestre” (Puebla).

 

REFERENCIAL HISTÓRICO DO CURSO NOTURNO  

 

Após 12 anos da fundação do Colégio Santo Inácio, o P. José Correia, SJ, então diretor, decidiu implantar o Curso Noturno com a finalidade de atender a jovens trabalhadores, vindos, em sua maioria, do interior do Estado, que desejavam prosseguir seus estudos. Foi assim que, em 1969, começou a funcionar este turno, com uma turma de 5º Ano, com 55 alunos.

Em 1972, sob a direção do P. Pedro Alberto Campos, SJ, o curso noturno contava com os quatro anos do então 1º Grau Maior, tendo 227 educandos. Em 1977, sob a gestão do P. Antônio Cláudio Camurça, o Colégio Santo Inácio assinou um convênio com a Secretaria de Educação do Estado do Ceará, colocando à disposição suas dependências para que fosse implantado o 1º Grau Menor. Em troca, o Estado cederia professores e a supervisora pedagógica. Na prática, a convivência entre estas duas realidades mostrou-se desgastante, principalmente devido à falta de compromisso dos ‘novos’ profissionais e à crise pela qual passava a Escola Pública. Em consequência, a Direção do Colégio, sob direção do P. Luciano Ciman, SJ, em 1980, resolveu cancelar o convênio firmado e contratar um novo corpo docente, sob a orientação do P. Ângelo Mozena, SJ.
Na gestão do P. Pedro Vivente Ferreira, SJ (1982-1988), o curso noturno recebeu grande incentivo, visto que sua ampla visão pedagógica desafiou o corpo docente a refletir sobre os caminhos trilhados e a elaborar uma proposta educativa inspirada nas características da educação da Companhia de Jesus, que viessem a corresponder aos interesses do aluno trabalhador.

Entre 1988 e 1991, o Curso Noturno viveu uma época efervescente de construção de uma prática fortalecida pelos constantes questionamentos, estudos, encontros pedagógicos, observando-se coerência e compromisso por parte de seus coordenadores e professores. Esse período coincidiu com a gestão do P. Manuel Madruga Samaniego, SJ, que, com seu espírito sempre aberto ao diálogo, representou a esperança da concretização do ideal de uma educação voltada para jovens e adultos trabalhadores.

Em 2005, o Colégio Santo Inácio implantou o EJA – modalidade Ensino Médio, com duração de um ano e meio, visando atender aos alunos que estavam concluindo o Ensino Fundamental no curso noturno e mostravam-se desejosos de concluírem a educação básica na mesma instituição.
Em 2007, após um período de estudos e pesquisas sobre os melhores caminhos para o curso noturno, optou-se por uma mudança na forma de desenvolvimento do trabalho pedagógico. Essa mudança envolveu uma nova modalidade educativa, que foi implantada gradativamente nos anos de 2008, 2009 e 2010, organizando o Ensino Fundamental em 5 anos (Modalidade EJA) e o Ensino Médio em 3 anos (Modalidade Ensino Regular).
Atualmente, o Curso Noturno do Colégio Santo Inácio de Fortaleza oferece, sem nenhum ônus para os alunos, todo o Ensino Fundamental e Ensino Médio.

 

REFERENCIAL TEÓRICO-METODOLÓGICO 

 

 

Promover a educação fundamental de jovens e adultos que não tiveram a oportunidade de cumpri-la na infância é importante para responder aos imperativos do presente, e requer, fundamentalmente, que se considere esta população inserida no atual contexto sócio-econômico e cultural, pois apesar do avanço tecnológico, não se observam melhoras significativas nas condições de vida dessa população, que excluída de uma escolarização na idade certa, ainda é excluída de grande parte dos demais bens e serviços produzidos pela humanidade.

Para atender a esse propósito, busca-se garantir ao jovem e ao adulto trabalhador, através de uma educação libertadora, orientados pelo carisma de Santo Inácio de Loyola, que se traduz na Pedagogia Inaciana, os seguintes referenciais:

 

* Respeito à identidade cultural;
* Construção de conhecimentos significativos que lhe possibilitem ampliar a maneira de ver o mundo com vistas a transformá-lo;
* Sistematização de conhecimentos a partir da experiência de vida do jovem e do adulto;
* Construção e consolidação de relações democráticas no espaço escolar;
* Valorização da cultura popular e respeito ao pluralismo cultural de cada aluno;
* Fortalecimento e vivência de valores essenciais para a construção de uma sociedade ética, cristã e cidadã.

 

Nessa perspectiva, e à frente de uma sociedade que passa por profundas mudanças nas relações socioeconômicas, na qual a revolução científico-tecnológica e o mundo moderno impõem uma nova leitura da realidade, faz-se necessário construir um currículo que atenda às necessidades de aprendizagem do jovem e do adulto trabalhador e que contribua para a sua inserção no competitivo mercado de trabalho, sem negligenciar a sua formação humana.

Esse currículo será desenvolvido considerando “as características do alunado, seus interesses, condições de vida e trabalho, ao mesmo tempo em que contemple uma prática interdisciplinar” (LDB 9.394/96 – seção V do Art. 37).
Assim, definem-se como princípios metodológicos do Curso Noturno do Colégio Santo Inácio:

 

* Desenvolvimento de uma aprendizagem significativa baseada na vivência do aluno;
* Desenvolvimento do espírito criativo e crítico;
* Criação de situações desafiadoras;
* Valorização do saber popular;
* Exercício da autonomia;
* Integração do afetivo com o cognitivo.

 

OBJETIVO GERAL

 

* Possibilitar aos jovens e adultos trabalhadores o acesso e a continuação dos estudos, proporcionando-lhes uma formação de boa qualidade humana, cristã e acadêmica, na dimensão da inclusão social.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

* Oportunizar aos alunos o domínio de instrumentos básicos da cultura letrada, que lhes permitam melhor compreender e atuar no mundo em que vivem.

* Proporcionar aos alunos a ampliação da comunicação social, com vistas à incorporação no mundo do trabalho com melhores condições de desempenho e participação.

* Colaborar na formação integral dos alunos, fornecendo-lhes elementos para valorizarem a democracia, desenvolvendo atitudes participativas; conhecerem seus direitos e deveres; reconhecerem suas capacidades e limitações.

* Proporcionar aos alunos o acesso a oportunidades de desenvolvimento cultural.

* Favorecer aos alunos situações de conhecimento e valorização da diversidade cultural brasileira, respeitando diferenças de gênero, idade, raça, classe social e credo, com o objetivo de diminuir e/ou acabar com os mais variados tipos de preconceito.

* Possibilitar aos alunos o conhecimento da sua realidade histórico-cultural, com vistas à ampliação da sua convivência em diferentes espaços sociais.

* Favorecer aos alunos o uso do raciocínio lógico como forma de atingir o domínio de habilidades básicas de organização e expressão do pensamento.

* Ajudar os alunos a aumentarem sua autoestima, fortalecerem a confiança na sua capacidade de aprendizagem, valorizarem a educação como meio de desenvolvimento pessoal e social.

* Criar oportunidades de intercâmbio dos alunos com outras instituições sociais e educativas, visando à continuidade dos seus estudos em outros graus ou modalidades de ensino básico ou profissionalizante, assim como a outras oportunidades de desenvolvimento cultural.

* Ajudar os alunos a reconhecerem e valorizarem os conhecimentos científicos e históricos, a produção literária e artística como patrimônios culturais da humanidade.

 

 

SISTEMA DE AVALIAÇÃO E RECUPERAÇÃO 

 

Para efeito de avaliação na modalidade regular, o ano letivo tem 4 etapas, nas quais o aluno será avaliado através de testes, provas, tarefas, pesquisas, seminários, fichas de observação e/ou trabalhos individuais ou em grupos. O processo de avaliação da aprendizagem deve possibilitar ao aluno também auto avaliar-se.
Quanto à assiduidade, é considerado aprovado o aluno com frequência igual ou superior a 75% do total de dias letivos, considerando-se os casos especiais, de acordo com a lei vigente.
Quanto ao desempenho escolar, a avaliação do aproveitamento é expressa através de notas, em uma escala numérica de 0 (zero) a 10 (dez), considerando o aspecto quantitativo e qualitativo.
Para o aluno ser aprovado, deve obter a média global igual ou superior a 7 (sete), com um mínimo de 35 pontos ao final das quatro etapas, pois a quarta etapa tem peso 2.
Os estudos de recuperação são oferecidos ao final do ano. O aluno deve fazer recuperação quando não atingir a média global igual ou superior a 7 (sete).

Tags: