logo
CSI Online

Em 1521, aos 30 anos de idade,  Santo Inácio foi gravemente ferido por uma bala de canhão que lhe atingiu a perna. Este fracasso foi apenas aparente, pois marcou o início de um processo de conversão que conduziu Inácio a sonhos maiores, já não centrados em si mesmo, mas no projeto de amar e servir a Cristo. Começaria a ver todas as coisas novas em Cristo.


Segundo os Jesuítas, celebramos este ano para recordarmos a oportunidade diária de experimentar uma nova conversão e viver uma experiência transformadora. É um chamado a permitir que o Senhor nos descubra um novo entusiasmo, interior e apostólico, uma nova vida, novos caminhos para seguir a Cristo.

O Ano Inaciano celebra 500 anos de conversão de Santo Inácio de Loyola e será guiado pelas Preferências Apostólicas Universais 2019-2029. “Assimilá-las supõem uma conversão para cada um de nós, nossas comunidades e nossas instituições ou obras apostólicas. Peçamos a graça de uma mudança real em nossa vida-missão de cada dia”, conclui o Padre Arturo Sosa. (EPC)
A partir do seu percurso interior, Inácio inicia um movimento de itinerância geográfica. Mais que um simples deslocar-se, trata-se de um modo de viver e de situar-se no mundo. A partir de então, o mundo o aproxima de Deus e a saudade de Deus não o afasta do mundo. 

 Nos dias atuais, podemos encontrar inspiração nesse percurso de Santo Inácio para que também possamos alcançar a renovação espiritual e ver novas todas as coisas em Cristo.